Confira 10 músicas que não podem faltar na sua festa junina

PREMIUM

3 MESES GRATIS

Ouça música de forma ilimitada, sem anúncios, e faça download das suas favoritas para ouvir onde e quando quiser.

Depois, R$ 24,90 ao mês.
Cancele quando quiser.

FREE

NENHUM PAGAMENTO E NECESSARIO

Ouça suas músicas favoritas de forma gratuita e explore nosso catálogo com milhões de faixas e playlists.

O mês de junho está chegando e as Festas Juninas também, com bastante comida, dança, brincadeira, fogueira, roupa a caráter e, claro, muita música pra gente se acabar de brincar!

Embora sejam mais relacionadas à cultura nordestina – já que os maiores eventos juninos se realizam em cidades do Nordeste, como Caruaru (Pernambuco) e Campina Grande (Paraíba) – é fácil encontrar festejos de São João em praticamente toda cidade do interior do Brasil e até em algumas capitais.

Herança de festividades ibéricas que, chegando ao Brasil no século XVI, ganharam influências das culturas indígena e africana, as festas se concentram mais no mês de junho por causa das datas comemorativas de três santos muito populares: Santo Antônio (13 de Junho), São João (dia 24) e São Pedro (dia 29). Mas o brasileiro curte tanto uma festa junina que elas se estendem até julho e agosto em muitas cidades nordestinas.

As músicas, claro, são um capítulo especial dessa festança. Afinal, quem não curte um arrasta-pé? Tem forró, baião, quadrilha, xote, baião, muita sanfona, zabumba, rabeca e triângulo pra ninguém ficar parado. Para celebrar esse momento único e especial do ano, preparamos uma superlista pra você! De Luiz Gonzaga a Zé Ramalho, passando por Gal, Dominguinhos e Gilberto Gil, um top 10 com as melhores músicas de São João pra todo mundo aproveitar está à sua disposição. Confira agora!

1. “Asa Branca” (Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga)

Clássico nacional e uma das canções brasileiras mais conhecidas em todos os tempos, “Asa Branca” é referência indispensável em qualquer lista de músicas brasileiras. Baião composto em 1947 por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, “Asa Branca” é quase um hino não oficial do Nordeste e não pode faltar em nenhum arrasta-pé. Segundo o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD), é uma das músicas mais tocadas em festas juninas, tendo sido a oitava mais tocada do ano de 2010. E das mais gravadas no país em todos os tempos, com mais de 300 registros.

2. “Olha pro céu” (Luiz Gonzaga e José Fernandes)

“Olha pro céu, meu amor, veja como ele está lindo…”. Quem não conhece esses versos? Em toda festa junina que se preze, não pode faltar a quadrilha. E, para dançar, nada melhor do que ouvir mais uma do mestre Gonzagão! Este clássico de festas de São João não poderia ficar de fora dessa playlist. A parceria com José Fernandes, lançada em 1951, foi regravada por Elba Ramalho e Gilberto Gil, entre outros astros da nossa MPB.

3. “Pula a Fogueira” (Getúlio Marinho e João Bastos Filho)

Marchinha junina criada em 1936, a canção nunca saiu da lista das mais tocadas em festejos juninos. O compositor Francisco Alves já era famoso e conhecido nacionalmente quando gravou a faixa, que de imediato alcançou estrondoso sucesso. Os versos do refrão “Pula a fogueira, ioiô / Pula a fogueira, iaiá” são figurinha fácil nos eventos e conhecidos por todos no país. Quem nunca quis pular a fogueira no dia de São João?

4. “Eu Só Quero um Xodó” (Dominguinhos e Gilberto Gil)

“Que falta eu sinto de um bem / que falta me faz um xodó”! Todo mundo já ouviu esse clássico, cuja letra foi composta por ninguém menos que Gilberto Gil e é considerada uma das mais importantes de sua carreira. A melodia ficou por conta de Dominguinhos, virtuoso sanfoneiro, um dos mais famosos do país, e que iniciou sua carreira por influência de Luiz Gonzaga. Outra canção certa no cancioneiro das festas juninas!

5. “Xote das Meninas” (Luiz Gonzaga e Zé Dantas)

Luiz Gonzaga, vulgo “Gonzagão”, é um dos maiores compositores brasileiros, e “Asa Branca” é sua canção mais famosa. Mas “Xote das Meninas” é um clássico e se insere como um dos grandes sucessos quando o assunto é música de São João. Composta em 1953 em parceria com Zé Dantas, é uma das grandes produções da música brasileira e foi gravada por nomes de peso da música popular brasileira, como Alceu Valença, Marisa Monte e outros.

6. “Frevo Mulher” (Zé Ramalho)

Um frevo na lista e dos mais badalados: a canção se notabilizou na voz da cantora Amelinha, que fez da versão original um sucesso em todo país no final da década de 1970. Composta por Zé Ramalho – marido de Amelinha à época – “Frevo Mulher” tem tanto na melodia quanto na letra o seu ponto forte e marcou época durante boa parte dos anos 1980.

7. “Festa do Interior” (Moraes Moreira e Abel Silva)

Mais um frevo eternizado por uma marcante voz feminina: “Festa do Interior” foi uma das principais canções do álbum Fantasia, de ninguém menos do que Gal Costa. A faixa ganhou força nas rádios e entrou nas paradas de sucesso no início da década de 1980. Não apenas no Carnaval, “Festa do Interior” é também sucesso entre as canções preferidas das festas juninas.

8. “Isso Aqui Tá Bom Demais” (Dominguinhos e Nando Cordel)

Mais uma do “mestre” Dominguinhos integra a lista. Lançada em 1985, “Isso Aqui Tá Bom Demais”, ficou famosa ao entrar para a trilha da novela “Roque Santeiro”, fenômeno da televisão brasileira à época, e alcançou sucesso também no disco homônimo de Gonzaguinha, filho do Rei do Baião, Luiz Gonzaga.

9. “Esperando na Janela” (Raimundinho do Acordeon, Targino Gondim e Manuca Almeida)

Lançada em 1999, “Esperando na Janela” é uma canção do sanfoneiro e cantor Targino Gondim e seus parceiros Raimundinho do Acordeon e Manuca Almeida. A faixa fez parte da trilha do filme “Eu, Tu, Eles”, do ano de 2000, e foi imortalizada na voz de Gilberto Gil. No ano de 2004, “Esperando na Janela” foi a canção mais executada no país. Em 2001, Targino Gondim venceu o Grammy Latino com esta faixa, como Melhor canção brasileira. Pedida certa em qualquer festa de São João.

10. “Pagode Russo” (Luiz Gonzaga e João Silva)

Mais uma do Gonzagão na lista: “Pagode Russo”, de Luiz Gonzaga e João Silva. Composta originalmente em 1946, a canção é um baião que se notabilizou por ter a letra brincando e satirizando os cossacos, povo originário da Rússia, abusando do duplo sentido das palavras. O ECAD reconhece a obra como uma das músicas mais tocadas em festas juninas, tendo sido a mais tocada do ano de 2010.

Pronto, a lista já tá completa. Agora é só preparar os quitutes e a roupa xadrez pra montar a quadrilha!

Descubra nossas ofertas